Um assunto polêmico agora aqui na nossa pauta:

Iscas Naturais vs. Iscas Artificiais

Há quem não acredite nas iscas artificiais, achando que o peixe não come um pedaço de plástico.
Mas também há quem não quer mais sujar as mãos e o barco com as iscas naturais.
Isso tudo porque cada um vai ter uma forma de pescar e pra cada forma, há sempre o mais indicado e o que dá mais certo…

Primeiro vamos entender o que são iscas artificiais.
As iscas artificiais são iscas de material sintético que simulam as iscas naturais, quase sempre imitando os movimentos das iscas vivas, por isso quem vai utilizar as iscas artificiais precisam estudar o tipo de peixe capturado na região e o que eles comem. Numa pesca de robalo, por exemplo, você pode utilizar um camarão de silicone… numa pesca de anchovas, você pode usar plugs que imitam pequenos peixes nadando… numa pescaria de olho de cão, você pode usar um sabiki que imita um pequeno cardume de pequenos crustáceos… e numa pescaria de olho de boi ou atuns, você pode usar jigs que imitarão pequenos peixes subindo à superfície.

As iscas artificiais são tão eficientes quanto as naturais?

Sim! As iscas artificiais pescam tantos peixes quanto as naturais, mas como dissemos acima, dependendo do peixe que você espera pescar e o local.
Um exemplo fácil é a pescaria de praia. Numa praia as iscas naturais terão mais efetividade que uma pescaria com iscas artificiais. Porquê? Porque os peixes de praia normalmente comerão pequenos crustáceos encontrados na própria praia em abundância e serão atraídos pelas iscas pelo olfato. Por isso nesse caso as iscas naturais são as mais usadas. Mas vamos usar um outro exemplo de uma pescaria de olho de cão (em um costão ou embarcado)… imagina que a cada arremesso você pode pescar vários peixes no mesmo chicote. Porém a cada arremesso, você terá que iscas todos aqueles anzóis… no caso da pesca com o sabiki (imagem a direita), depois de tirar os peixes, basta arremessar novamente o sabiki na água e pescar mais peixes, pois o sabiki tem as iscas artificiais prezas nos anzóis.
Esse tipo de ocasião acontece o mesmo com a pesca de anchovas e peixes vorazes em pescarias embarcadas… ao achar o cardume, você vai arremessando as iscas artificiais e pescando os peixes, um após o outro, sem se preocupar em iscar anzóis. no final da pescaria de anchovas, você notará que pescou mais por perder menos tempo manuseando as iscas naturais.

E o equipamento para a pesca com iscas artificiais será o mesmo para as iscas naturais?

Quase sempre não!
Exceto a pesca com sabikis que podem ser feitas com o mesmo tipo de vara, linha… as demais iscas artificiais necessitam um preparado diferenciado, pois precisarão do auxílio da vara, molinete ou carretilha e linha para efetuar uma boa simulação da isca viva.

No caso de jigs de metal, normalmente precisa-se de varas com dureza maior (ação rápida ou média rápida) para que os toques de vara movam as iscas mais precisamente. E por isso a linha indicada também deve ser as linhas de multifilamento, por ter menor elasticidade e fazer com que as ações da vara reflitam mais diretamente nas iscas. Ou seja, se utilizar uma vara mais flexível e uma linha com elasticidade, como o nylon, será necessário adaptar o movimento da vara, onde os toques deverão ser mais fortes para que a isca tenha o mesmo trabalho que em uma vara mais dura com uma linha sem elasticidade.

No caso de plugs (ou rapalas, que apesar de ser uma marca são popularmente conhecidas assim) é necessário varas capazes de arremessar essas iscas e dependendo das condições e das iscas que irá utilizar, você deve eleger uma vara. Um bom exemplo é se você vai pescar de um costão com iscas de aproximadamente 20gr. você deve procurar uma vara para iscas artificiais desse porte com um comprimento longo para que você consiga arremessar longe o suficiente para que consiga nadar com a isca o suficiente para que o peixe se interesse.
No caso de pesca embarcada, as varas muito longas não são indicadas, pois atrapalham a movimentação dentro do barco e dificultam o arremesso.

Veredito:

Se você faz pesca de praia, utilize iscas naturais e de preferência iscas encontradas nos locais. Ex. tatuís, sarnambís, conchas…
Se você faz pescas de costões onde tem grande chance de pescar peixes de porte mais avançados, como olhetes, anchovas… tente iscas artificiais.
Se você faz pesca embarcada de olho de cão, corvinas, pargos… tente pescá-los com sabiki, jigs tipo sapinho ou pindoca com o mesmo material que pescaria de isca natural e dependendo do resultado eleja a melhor pra você.
E se você sempre está embarcado em busca de grandes peixes, como anchovas, olhetes e até robalos… busque um material adequado às suas condições e tente as iscas artificiais para passar a outro nível de pescaria.
Mas o mais importante é que você pesque e seja muito feliz!!!